O ingresso dos estudantes internacionais é nos termos da legislação aplicável e do regulamento do estudante internacional concretizado através de um concurso especial de acesso e ingresso.

Condições de Acesso

Podem candidatar-se à frequência de um ciclo de estudos, os estudantes internacionais:

  1. Titulares de uma qualificação que dê acesso ao ensino superior, entendida como qualquer diploma ou certificado emitido por uma autoridade competente que ateste a aprovação num programa de ensino e lhes confira o direito de se candidatar e poder ingressar no ensino superior no país em que foi conferido;
  2. Titulares de um diploma de ensino secundário português ou de habilitação legalmente equivalente.

O Estudante Internacional  que pretenda frequentar uma Licenciatura, nos termos da lei  e do regulamento interno aplicáveis tem de ser titular de uma qualificação/ diploma  que dê direito a se candidatar e ingressar no ensino superior do país de origem.

O certificado que atesta a situação antes referida tem de ser emitido por entidade competente, referir a classificação final obtida e escala de classificação adotada e ser autenticado pelo Consulado Português no país emitente ou, se for caso disso apostilado , nos termos da Convenção de Haia e traduzido para língua portuguesa por tradutor ajuramentado se estiver elaborado em língua diferente da portuguesa, espanhola, francesa ou inglesa.

Condições de ingresso (matrícula e inscrição)

Para além das condições de aceso definidas anteriormente, para efeito de ingresso no respetivo ciclo de estudos, os estudantes internacionais têm obrigatoriamente de relativamente aos mesmos, demonstrar:

  1. Qualificação académica específica para ingresso nesse ciclo de estudos;
  2. Conhecimento da língua em que o ensino vai ser ministrado (normalmente língua portuguesa).

Verificação da qualificação académica específica

1. A verificação da qualificação académica específica: 

  1. Incide sobre as matérias das provas de ingresso fixadas para o ciclo de estudos, em causa, no âmbito do regime geral de acesso e ingresso;
  2. Deve assegurar que os estudantes internacionais têm conhecimento das matérias das provas de ingresso de nível e conteúdo equivalentes aos dos estudantes admitidos através do regime geral de acesso e ingresso regulado pelo Decreto-Lei nº 296-A/98, de 25 de setembro.

2. A verificação da qualificação académica específica para ingresso no ciclo de estudos pode ser feita através de prova documental ou por exame escrito eventualmente complementado por exame oral. A verificação das condições prevista anteriormente pressupõe que:

  1. A confirmação documental pode ser feita através de documento comprovativo de que o candidato já foi avaliado através de provas julgadas de nível e conteúdo equivalente às prestadas pelos estudantes admitidos através do regime geral de acesso e ingresso, onde conste a respetiva classificação obtida nessas provas.
  2. Caso o candidato não prove que realizou as provas referidas na alínea anterior realizará uma prova interna de ingresso com as seguintes características:
    1. Incide sobre as matérias das provas de ingresso fixadas para o ciclo de estudos, em causa, no âmbito do regime geral de acesso e ingresso;
    2. É obrigatoriamente feita por exames escritos, eventualmente complementados por exames orais.
    3. Os exames escritos são realizados na língua em que o ensino vai ser ministrado.

Conforme o curso a que se candidata a prova interna de verificação da qualificação académica específica pode ser uma das seguintes:

Curso a que se candidataProva interna
Gestão de Recursos Humanos Português ou Geografia ou História
Gestão Comercial Português ou Economia ou Matemática
Gestão de Empresas Português ou Economia ou Geografia
Engenharia da Segurança do Trabalho Matemática e Física-Química

Calendário de provas internas

As provas internas para verificação da qualificação académica específica prevista na alínea a) do número 1 do artigo 7.º  do regulamento do estudante internacional realizam-se nas seguintes datas: 

Fase de candidatura**Datas Provas internasDivulgação de resultados
1ª Fase 5 de fevereiro a 23 de fevereito 26 de fevereiro a 2 de março 12 de março de 2018
2ª Fase* 24 de fevereiro a 16 de março 19 a 23 de março 2 de abril de 2018
3ª Fase* 17 de março a 6 de maio 9 a 13 de abril 23 de abril de 2018
4ª Fase* 7 de abril a 18 de maio 21 a 25 de maio 4 de junho de 2018
5ª Fase* 19 de maio a 8 de junho 11 a 15 de julho 25 de julho de 2018
6ª Fase* 9 de junho a 6 de julho 9 a 13 de julho 23 de julho de 2018
7ª Fase* 7 de Julho a 31 de agosto 3 a 7 de setembro 17 de setembro de 2018
8ª Fase* 1 a 21 de setembro 24 a 28 de setembro 8 de outubro de 2018
9ª Fase*** 17 de dezembro a 1 de fevereiro -- 4 de fevereiro 2019

*Vagas sobrantes.
**Caso existam vagas sobrantes serão definidas novas fases de candidaturas.
***Fase extra destinada a candidatura de alunos brasileiros titulares do Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM

Nota: A data da prova interna pode ser alterada de acordo com os interesses dos candidatos

Dispensa da prova interna

Os estudantes com Exame Nacional do Ensino Médio ENEM (Brasil) válidos e exames nacionais de acesso ao ensino superior ficam dispensados da realização das provas internas. Provas de ingresso obtidas através do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM Brasil).

Os estudantes oriundos de PALOP serão dispensados da prova interna quando tenham realizado no país de origem provas consideradas de nível e conteúdo equivalente às prestadas pelos estudantes admitidos através do regime geral de acesso e ingresso, onde conste a respetiva classificação obtida nessas provas.

Conhecimentos da língua portuguesa

Considera-se haver um domínio suficiente da lingua portuguesa por parte dos estudantes internacionais que:

  1. Sejam nacionais de país em que o português seja língua oficial;
  2. Nos dois dois últimos anos tenham residido de forma ininterrupta num país de língua oficial portuguesa;
  3. Tenham frequentado o ensino secundário em língua portuguesa;
  4. Sejam detentores do diploma intermédio de Português Língua Estrangeira, nível B2;
  5. Detenham um outro certificado de domínio da língua portuguesa de núvel B2 emitido por estabelecimento de ensino superior português.

Testemunhos

   ACESSO
Saiba mais